QUESTÃO DE HONRA

  Por Renato Uchôa (Educador)

 

 

   

 Por Ana Paula Romão (Educadora)

 

 

 

Gonzaga da Cacimba, morador da cidade de Princesa na Paraíba, agiu baseado no Código de Honra do Nordeste, em 1979. Que salteia, faz ainda morada no coração e na mente de milhões de nordestinos e brasileiros. Gonzaga matou sete pessoas de uma mesma família, tornando-se o Mata Sete de Princesa. Daí a origem do nome, batizado pela imprensa. Gonzaga, pelos relatos de quem conviveu com ele foi um homem bom, pacato até na pisada.

Cobria o corpo com um terno branco e batia pernas nos cumprimentos às pessoas, e compra de doces para as crianças. No ponto principal das cidades pequenas do interior: a feira do mercado. É lá que se encontra ainda hoje a tapioca, a macaxeira, o arrumadinho de charque, o inhame, o porco assado, a buchada de bode, o sarapatel, a carne de sol, o cuscuz de milho ou de arroz, dependendo da região, com o perfume da manteiga da terra (manteiga de nata). É lá que no período imperial a revolta popular conhecida como o Ronco das Abelhas fez morada. Um movimento de revolta (aconteceram dezenas) que se alastrou, principalmente no Nordeste, nas feiras, nos mercados o povo reagiu contra o poder imperial, nos idos de 1851 e 1852. Com destaque para Pernambuco e Paraíba... Vai com a graxa ou sem? Capricha Dona Paixão.

Luiz Gonzaga Pereira dos Santos acolheu de corpo e alma no Sítio Caldeirão Fernando Alves de Almeida, já com 23 anos no espinhaço. Batizado e criando para não cometer crimes. Educação que não tem endereço na escola da Elite, mas, dança na sala, cozinha, terraço e quintal, nos tempos bons ou ruins.No seio das camadas subalternas. Herdada dos ancestrais na formação do caráter, na solidariedade, na convivência de respeito a si e a os outros. Não roubar o que é do povo, como Temer, Cunha, todas as cunhas nos bolsos do PSDB, PMDB, DEM.... Milhares delas desde que Cabral pisou na Terra Santa, para cravar na moleira dos índios, mulheres, negros...

 Fernando se apaixonou por Vera Lúcia, com 12 anos, romance secreto que motivou posteriormente a tragédia.  Fernando farejou o perfume da morte quando “mexeu” com Vera. Selou o cavalo, com ajuda dos pais e Seu Gonzaga da Cacimba, no pinote em direção a São Paulo. Deu o bote certeiro no pensamento... Passou a perna em Vera, no Ganga Pé, trincou a honra do Seu Gonzaga, como se diz aqui no Nordeste. Quando não voltou para casar. Três anos de angústia, de espera. Não veio cumprir a promessa sagrada da palavra empenhada, sem registro no cartório. Tirou o passaporte para o Céu ou o Inferno. Quando as notícias com fotos do casório, com outra em São Paulo causaram uma tempestade de ódio.

Baldeando, azucrinando, espeziando com a desfeita o juízo de Gonzaga da Cacimba, no pio de plantão dos fuxiqueiros/as costumeiros das esquinas e janelas da cidade. Nas Universidades, em todas as repartições públicas ou privadas, os especialistas em fuxico se batem nos corredores. Gonzaga da Cacimba, tem pessoas que juram de pés juntos, foi a São Paulo várias vezes para cobrar a conta e pagar o caixão de Fernando, e oferecer a mortalha de presente. Nunca o encontrou.

Gonzaga da Cacimba decide matar a família de Fernando. Cobrar a promissória da família, vingar para lavar a honra, baseado no Código de Honra que mutila, mata milhares de mulheres no Brasil de dentro a fora, pela cultura da posse. Em 29 de junho de 1979, dia de São Pedro. As fogueiras enfeitam as ruas, o milho aguarda o sapecado, o aluar, a canjica se enfeitam para a festa em homenagem ao Santo. Gonzaga da Cacimba ajeita o candeeiro, quando a Lua prateada, no lugar do Sol, anuncia, lança no mundo a cor da sua beleza. Engoma o revólver, e decidido ruma em direção à casa da família de Fernando,o autor da desonra. 

Mata na mesa do jantar, na hora sagrada, José Alves de Almeida e mais 6 pessoas. A esposa e os cinco filhos. Antes do ato cruel, hediondo, indefensável, ordena que uma prima de Fernando por nome de Maria do Socorro Alves se retire do local. Gonzaga da Cacimba se transforma no Mata Sete de Princesa, e 24h por dia a imprensa nos assusta, causa pavor e medo do sertão à capital João Pessoa. Mostra os sete mortos vestidos com os caixões, transforma o dia de São Pedro no carnaval macabro que a mídia faz com qualquer um na busca de audiência. Um crime de repercussão nacional.

 Após três anos fugindo, o grande final. Em março de 1981 o cerco policial é feito. Gonzaga da Cacimba não se entrega, e nos últimos momentos da vida nos ensina, não com o assassinato cruel da família, mas na afirmação, morro como homem, como um ser humano que não é um bandido. Gonzaga se recusou a morrer apodrecendo em um presídio, exposto nas vitrines da morte que caracterizam a situação dos apenados. Enfrentou a polícia à bala, o maior tiroteio localizado que já houve por lá. Reage e é fuzilado. O barulho dos tiros, há quem diga, acordou a Princesa Isabel na cova, que homenageia a cidade com a graça.

Todos os povos do mundo têm seus códigos, que em situações de ameaça aos direitos, as garantias, a liberdade, reagem dentro ou fora da Lei, que não mais os protegem. E escrevem a nova Constituição no asfalto da luta, nas ruas e avenidas. Os ladrões do mandato da presidenta Dilma têm os seus, e têm também seus dias contados. Roubar a democracia e instalar o Estado de Terror, que marcará por gerações o futuro do país, justifica a posição de insurgência da população contra todos os atos ilegais que caracterizam o Usurpador Temer.

Os trabalhadores/as  brasileiros/as, diante do Golpe, que não precisou de mais de um ano para fatiar a nação, entregando as riquezas. Que assaltou a luz do dia o mandato que não é apenas de Dilma, mais de 54 milhões de brasileiros/as, por uma questão moral, é o nosso Código de Honra, devem fazer o cerco em Brasília dia 24 de maio e cobrar de volta a Devolução da condução dos destinos do país, a quem de direito. Se o STF, na voz  da presidenta Carmén Lúcia, que nos afronta com a afirmação recente que as Instituições trabalham “normalmente”...Mas, para consolidar o Golpe dentro do Golpe. O Congresso Nacional, as outras Instituições parceiras do Golpe, que teimam em não restabelecer a Democracia, mesmo diante das provas do crime praticado pelas verdadeiras gangues, que a gente tome em nossas mãos o nosso destino, o destino do país.

Para além de todas as lutas importantes pelas Diretas, a anulação do Golpe, com a devolução do mandato a nós e a presidenta Dilma, é que nos encaminhará para a convocação das Eleições Diretas. Por quem tem autoridade legítima e moral para realizá-las, com o reestabelecimento do Estado de Direitos. A contaminação generalizada dos Aparelhos Repressivos do Estado em favor do Golpe, como garantia só a desarticulação completa deles, com manifestações de repúdio aos traidores do Brasil, em todo o país, permitirá o clima saudável do processo eleitoral.

Que as abelhas, no ronco em 24 de maio próximo, instale concretamente em Brasília, o início da derrocada do Estado de Terror. Sem negociação.

Dedicado a Gláucia Magalhães (neta) de Gonzaga da Cacimba, e família, E a família dos mortos.

 

  Sérgio Arruda

Mais recente:COMO ESTAMOS MAL PROTEGIDOS COM NOSSAS ESCOLHAS HUMANAS

    

Ana Paula Romão      

Mais recente:MORO, ONDE NÃO MORA A JUSTIÇA

 

 Renato Uchôa 

Mais recente: MORO, ONDE NÃO MORA A JUSTIÇA 

 

Ana Liési Thurler
 Mais recente:   Percalços inescapáveis do capitalismo

 

Luiz Francisco Guil

Mais recente: ENTRE PERDIDOS E ACHADOS                       

                
 

Artigos

links

Esta seção está em branco.

OPINIÃO

UMA QUESTÃO DE SENSIBILIDADE

  Por Ana Lúcia Alves          Dizem que sou sensível...pois vou contar onde aprendi a ser assim. Convivo a pelo menos 20 anos em hospitais cumprindo meu oficio de cuidar...e lá aprendi...Que paredes de hospitais, já ouviram preces mais sinceras e honestas do que em...

SOLIDARIEDADE NÃO SE PEDE

   Por Claudete Galli                Quero relatar um fato que ocorreu ontem quando eu estava na Vigília Lula Livre. Eu cheguei bem no momento em que o Stédile estava falando, como havia sido a visita ao Lula. Uma observação, então cada vez que o...

EM DIA DE JOGO DA COPA

  Por Igor Grabois            O Brasil é grande nos mais diversos sentidos do termo. Existem cinco países que estão, simultaneamente, entre os dez maiores PIB’s, territórios e populações. O Brasil é um deles. O maior país africano fora da África, só a Nigéria é...

ESTÃO NOS FAZENDO DE BOBOS, BRINCANDO DE DEMOCRACIA.

 Por Inês Duarte                   Não pode haver perdão ao ministro Edson Fachin. Ele traiu o povo brasileiro, traiu a democracia, a Constituição Federal e traiu principalmente ele próprio, quando deixou de cumprir a missão que se comprometeu...

AO SOM DA FOME

 Por Lúcia Costa                Eu tenho 49 anos. Desde criança via comícios, não perdia um, até onde dava. Aos 13 anos comecei a sentir vontade de entrar para a política ao ouvir aqueles homens. Eram só homens, falando bonito. Nos seus discursos...

O RECADO

Por Cleusa Slaviero        Para me apoiar  por causa do desânimo (preocupação), que me acometeu hoje, o George Mello disse: "menos expertise e mais luta, mais determinação." Ele quis dizer que as ações que realizamos na resistência, nesse momento, são mais importantes...

SOBRE A TENDÊNCIA HISTÓRICA E O FUTURO DO BRASIL

   Por Cristiano Camargo                    Toda Revolução Histórica tem um ponto de ruptura, da conjuntura anterior para a nova que surgiu pós- revolução, e que serviu de estopim para incendiar estas revoluções. Pois bem, estamos...

MARIELLE: BRASIL CHORA POR SUA MAIS NOVA MÁRTIR

Por Sérgio Botêlho           Há um mau cheiro no ar. E esse mau cheiro não vem do corpo inerte de Marielle. Esse mau cheiro vem dos seus assassinos. Esse mau cheiro vem de uma sociedade historicamente baseada em podres poderes. Negra, mulher, feminista, pobre...

TÁ FALADO

 Por Rosangela Lima              Madrugada alta e eu aqui, escrevendo textão. Pouca gente vai ler, mas é bom desabafar, então... Percebo nos olhares, nas críticas e alguns ataques, a incompreensão de muita gente do meu convívio com o fato de continuar na...

A MULHER E O VOTO

Por Inês Duarte          Não é de hoje que as mulheres possuem a disposição de lutar por respeito, igualdade de direitos, reconhecimento de seu papel, não apenas na sociedade, mas também, junto ao parceiro, como geradora de filhos, de gerações e que traz consigo o...

Esta seção está em branco.

Artigos

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!