PROVOCAÇÕES

 Por Moisés Mendes (Jornalista)        

 

 

    Desde ontem à tarde lido com duas provocações, sem saber destrinchar nenhuma delas. Tomei 14 mates agora de manhã, enquanto caía um chuvisco, e fiquei ainda mais confuso, quando geralmente o chimarrão me traz a sensação de que fiquei mais esperto.

A primeira provocação é a da poeta Alice Ruiz. Alice diz que fizeram uma bobagem ao disseminar os vídeos com a ‘palestra’ de Bolsonaro na Hebraica do Rio.

A poeta curitibana lembra que foi publicitária. E que a publicidade ensina que, quanto mais se mexe com algo, mais essa coisa se propaga, inclusive o lixo. Estariam fazendo propaganda de graça para o Bolsonaro.

Será? Não sei se o melhor, em mais uma exibição de fascismo de Bolsonaro, é ignorar a fala dele. O discurso de Bolsonaro deveria ficar num biombo, para que poucos privilegiados (os mais espertos e informados?) O examinassem com atenção?

Defendo que se ofereça a todos a chance de refletir sobre ameaças como essa.

A segunda provocação é do economista Márcio Pochmann, que presidiu o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Pochmann acha que, se não houver uma radicalização da reação ao golpe, não sai eleição no ano que vem.

E o que significa radicalizar? Ele não diz direito, diz apenas que tudo deve ser feito dentro da democracia. Sair às ruas? Parece que poucos querem sair. Acionar a força dos sindicatos? Copiar os argentinos e fazer greves gerais? Gritar mais na internet?

Pela tese de Alice, Pochmann não deveria falar em mais um golpe, desta vez contra a eleição de 2018, porque a disseminação da hipótese poderia transformá-la em algo real.

Vou tomar mais uns mates.

Foto: Extra Online

 

 

  Sérgio Arruda

Mais recente:COMO ESTAMOS MAL PROTEGIDOS COM NOSSAS ESCOLHAS HUMANAS

    

Ana Paula Romão      

Mais recente:MORO, ONDE NÃO MORA A JUSTIÇA

 

 Renato Uchôa 

Mais recente: MORO, ONDE NÃO MORA A JUSTIÇA 

 

Ana Liési Thurler
 Mais recente:   Percalços inescapáveis do capitalismo

 

Luiz Francisco Guil

Mais recente: ENTRE PERDIDOS E ACHADOS                       

                
 

Artigos

links

Esta seção está em branco.

OPINIÃO

Estratégia, onde estais?

      Por Paulo Carneiro Aonde está a estratégia do pós GOLPE? Alguém sabe me dizer, qual foi a estratégia da Dilma, do PT, ou de quem quer que seja, antes do golpe, para impedir o GOLPE? Pois é, eu, estou aqui no Facebook, há anos, sempre defendendo a legalidade, sempre alertando...

Tchau

                                Por Mirian Mantovani Tchau, Querida!    Tchau, Cultura!      Tchau, Cotas!        Tchau, Índios!        ...

Esta seção está em branco.

Artigos