Pacíficos ou passivos? E aí vai ele

 

     Por Lucélia Araújo

 

Pensando aqui, analisando…e o pensamento e a análise se fizeram presentes a partir de uma brincadeira de um site de humor que publicou uma charge onde dizia que “A passividade faz cientista investigarem se há Rivotril na água dos brasileiros’’. Passivos: eis a descrição correta do que somos ... somos um povo passivo, antes de sermos um povo de índole pacífica. Somos extremamente conformistas. Roubam nossos votos e com os votos lá se vai o governo eleito pela maioria, levando a bordo nossa incipiente democracia, conquistada à custa do sangue de muitos e do suor e lágrimas de todos.

O próximo passo, e isso já vem sendo anunciado, será a retirada de direitos trabalhistas, também conquistados à custa de muito sangue, suor e lágrimas... E nós? Nós estamos na inércia, nos colocamos na inércia e inertes estamos, no melhor estilo "deixa como está para ver como é que fica". O movimento Frente Povo Sem Medo está convocando manifestação nacional contra o golpe, para o próximo dia 31 de julho: são 35 entidades dos movimentos sociais convocando manifestações em todo o Brasil. Contra o golpe e contra a agenda neoliberal proposta pelo governo interino.

Nesse mesmo dia, haverá manifestação em apoio ao governo usurpador interino.... Só se pode afirmar, com certeza de acerto, que a manifestação expressa pelo povo, nas ruas, é que pode garantir a continuidade do processo democrático quebrado com o golpismo usurpando o poder na fatídica data de 17 de abril passado, quando a Câmara dos Deputados deu seu aval à abertura de um processo de impeachment, onde a ausência de crime praticado pela mandatária da nação enseja que não é impeachment: o que está em curso. É GOLPE, pura e simplesmente GOLPE, com direito a confissão gravada por parte dos próprios golpistas de que o que há é GOLPE CONTRA NOSSA DEMOCRACIA.

A sentença do MPF atestando a ausência de crime de responsabilidade, pilastra do pedido de impeachment de Dilma, é o que todos os caminhos indicam: É GOLPE. À parte partidarismos, o que está em curso no Brasil, agora sem margem para dúvidas, é o golpe desferido contra nossa democracia. Mas esse tipo de "sutileza" foge à percepção do vulgo: o povo que frequenta as ruas ... e não existe a percepção do golpe, entre outros fatores determinantes, os grandes meios de comunicação são o braço mais poderoso e eficaz do golpe, e estão aí, nos ares, pregando a "legalidade" do ilegal, do golpe.

 E segue a nossa Corte Suprema seu caminho de indiferença, seu caminho de ausência e de não interferência nos problemas que afligem uma parcela da população dessa nação, notadamente a parcela que já vislumbra o que há por detrás de golpes, o que há por detrás da usurpação da democracia.

E o que há é a ilegalidade cobrindo de trevas as poucas frestas de luz que ousaram, por um breve período de tempo, romper essa escuridão e levar um pouco de alento e ar respirável à nação...

Foto: www.pt.org.br