O RECADO

Por Cleusa Slaviero   

 

 

Para me apoiar  por causa do desânimo (preocupação), que me acometeu hoje, o George Mello disse: "menos expertise e mais luta, mais determinação."

Ele quis dizer que as ações que realizamos na resistência, nesse momento, são mais importantes que análises apontando como devemos agir.  Respondi pra ele que eu achava isso super valoroso – “mais luta, mais determinação” –, por isso me lancei publicamente sem acanhamento. Mas banalizarem tudo o que digo e faço, tudo o que dizemos e fazemos, nós, a resistência petista, chamando de religiosidade me desgostou muito e desgastou demais. Hoje li o sexto artigo ironizando, chamando de religiosidade, de santo, ou seja, um se pauta no outro e vão querer emplacar essa cara que a Direita sempre quis dar ao PT e ao Lula.

Isso é querer estigmatizar uma luta árdua e justa, vão querer banalizar e criminalizar uma resistência que leva em consideração o religioso que faz parte dela.

Estão dizendo que é sectarismo não arredar o pé das determinações. Isso é inaceitável, mesmo que estejamos errados. Somos sectários porque queremos justiça ao nosso líder e queremos uma eleição democrática pra acabar com o golpe, para esse país depois de 4 anos finalmente começar a andar novamente?

O que me incomoda é que isso está ocorrendo em nosso meio e não é o mesmo tititi e blábláblá dos militantes que sempre nos atacaram, são os PHD iniciando esse discurso.

Eu sempre bati na tecla de que Moro não condenaria Lula, depois que o TRF 4 iria absolver, lembram? E sempre disse que Lula jamais seria preso por causa desse processo do triplex. Porque não estou aqui pra parecer a entendida do assunto, estou aqui para lutar pelo o que é correto. Digo que Lula sairá livre nessa semana não por acreditar que sairá, é porque o correto é sair. Mas aí vem o tradicional: quanta ingenuidade, não entendeu que é golpe?

Uso narrativas que se pegassem geral seriam recados importantes ao STF e às demais Instituições, mas não pegam. Só pega a narrativa de quem parece entendido e não um mico. Já falei um milhão de vezes, não me importo de parecer ou pagar mico, a comunicação tem de dizer o que você quer e não como o inimigo quer. E não como o inimigo agirá.

Eu pago mico sem problemas, mas não desisto de dizer como é pra ser até o fim. No meu caso o mico é o de menos, não disputo troféus. O Mico que deve preocupar a todos é o Brasil seguir na mão de golpistas.

O triste é desperdiçar o espaço e o tempo e a oportunidade.