O Brasil à venda, próximo capítulo.

  Consuelo Maria da Consolação Gomes Cerqueira       

 

O bando que arregaça o país não dorme e nem deixa a gente dormir. Mal sabíamos que as hienas estariam à espreita e que em democracia não se cochila!  

A democracia vivenciada nos últimos 13 anos trouxe em seu bojo um enorme mal-estar dos privilegiados, afirma Jacques Rancière em "O Ódio à Democracia". E chegamos até a pensá-la garantida, ledo engano! O que aprendemos, nesses tempos duros, é que a luta pela democracia deve ser permanente. No descuido, sua ausência nos leva a caminhos sem volta, nos enreda em labirintos.

Em terras de passado escravista, a democracia trouxe aos da Casa-Grande, o ódio de Classe. E ele chega arrasando. Aliado aos interesses do Capitalismo neoliberal, pró-USA, inimigo do BRICS, do Mercosul, essa elite corrupta, agora, além de atacar direitos e conquistas dos trabalhadores, tem que dar fim ao Estado de Bem-Estar.

Qual direito perdi hoje? E o Golpe, como um tornado, vai arrasando o país e o levando para a era das botas, da senzala, do atraso, da dependência econômica, das privatizações, da precarização. E empunhando as baionetas, os golpistas já se enfileiram rumo ao definitivo: apearem a presidenta e entregarem, de vez, as nossas estatais, nossa água pura, nossos minérios, nossas terras brutas. Pois, com nosso petróleo, já começou a farra, mas nada sem resistência.

Ou como diz Moniz Bandeira em "A desordem Mundial", o objetivo dos EUA e Europa é a dominação do planeta, num vale tudo em devastação e esse Golpe é apenas um episódio.

Até antes do Golpe a mídia fazia espalhafato com a Lava Jato, crise era a tônica.

O que temos vivido, tal qual pesadelo, é que enquanto se propaga o ódio aos petistas vindo de todas as frentes do Judiciário, mídia, MPF, STF, PF, PGR, sem fôlego, sem dó, tentam, em jogo aberto mesmo, se safarem das contínuas delações. E elas vão chegando em enxurradas, escandalosamente, como agora. E, sem nenhuma surpresa, repetem-se nelas os mesmos ícones da política:  Aécio, Temer, Renan, Serra, Padilha...E agora, em mais uma jogada desesperada, o interino quer antecipar o impeachment para se safar, pois, como presidente ficará blindado, o fato será passado, com amparo na Lei. E pesarão, mais que nunca, a mão contra a esquerda, Lula e Dilma, sem piedade. Precisam salvar o Golpe, tanto para se salvarem das grades, como para salvar o Projeto de entrega do país em curso. 

E quem ainda se mantém como espectador, fique alerta, será o cheque-mate.Todos pagarão, sem exceção.

Em aliança com essa mídia, sem a qual não haveria Golpe, exímia em tapear, mentir e livrar os aliados, esses vão tirando do foco as denúncias, as delações que os incriminam. Na contrapartida, para convencer e ganharem de lambuja, vão carregando as bordoadas odiosas sobre Lula e Dilma, principalmente. A ordem é criminalizar toda a esquerda, incriminar Dilma, caçar Lula, o que já fazem há 40 anos, mas, agora, tirá-lo da disputa em 2018. O homem dos 49 "honoris causas", respeitado no mundo todo, por ter resgatado do "Brasil profundo" à vida digna, mais de 50 milhões de brasileiros, num dos países mais desiguais do mundo, vive perseguido, acuado, humilhado.

Assim se enraíza o fascismo, o Estado de Exceção.  Contexto que nos remete de pronto a Hannah Arendt em “As Origens do Totalitarismo”, quando se refere ao caso Dreyfus. Alertando-nos de que o nazi-fascismo nasceu bem antes do nazismo da Segunda Guerra. Daí a importância da defesa intransigente da democracia e urgência em se parar o Golpe. É questão de vida e morte.

É a guerra contra o povo brasileiro, como bombas sob os céus da Síria.

 Voltemos à geopolítica. Gilberto Maringoni, acrescenta-nos que depois do fim da URSS, que pôs fim à bipolaridade URSS e EUA, os EUA, de 1993 até agora, triplicaram suas intervenções diretas em países no mundo. De 16, de antes de 1993 para 48 intervenções, depois do fim da bipolaridade. Já em outra trilha, a Rússia e, antes, a China, que são países continentais, avançam suas economias, mas forjando um novo equilíbrio, se diferenciando, por não apresentarem a marca de Império, o “intervencionismo”, como o americano. Era essa a via que o governo Lula/Dilma escolhera rumo a um país soberano, através do BRICS, do Mercosul.

Empolgado, Mauro Santayna, em 2013, afirmava que o BRICS apresentava um desafio à hegemonia anglo-saxônica e ocidental, mostrando que outro mundo seria possível na diplomacia, na ciência, na economia, na política e na questão militar. Pois é, amigos, é essa soberania em construção, que agora, está em risco, caso percamos na relação de forças.

Entendendo o Golpe. O correspondente estrangeiro, Pepe Escobar fala desse Golpe como "Guerra híbrida", ou "Teoria do Caos armada", que é " a guerra por meios linguísticos". Essa que se materializa, aqui, nas terras bananeiras, num alinhamento judiciário-midiático-legislativo-executivo pró-USA e Wall Street que, no rabo, traz alguns países da Europa. Esse eixo, para sustentar sua geopolítica, tem arrastado o mundo às guerras sangrentas. Mas, agora, nada de guerra com explosões e mutilações de corpos, nem presença dos militares. A nova "guerra", agora, é instaurada via setores e instituições entreguistas e em alinhamento, sintonia. Aqui, em terras bananeiras, ela se instaura por uma turma de homens brancos, elitistas, fascistas, misóginos, trapaceiros. Esses a quem o tempo não lhes trouxe sabedoria, mas aguçou-lhes as vilanias, a perversidade, o egoísmo a ponto de arremessarem as bombas e retirarem a dignidade de um povo friamente. Podemos até inferir que é, sim, uma "guerra híbrida", meu amigo, essa a aqui instalada. Guerra de longo prazo, mais suave, incluindo todo tipo de manipulação, como a financeira e a midiática, essa mesma!

Sobres as denúncias da Wikileaks, Pepe Escobar é taxativo: a NSA forneceu toda a informação necessária inicial sobre as relações da alta cúpula da Petrobrás e as construtoras, como Odebrecht, Andrade Gutierrez, OAS, Camargo Correa e outras, a seu juiz "escolhido" e "orientado", Moro. Tinham pressa em acabar com o monopólio da Petrobrás sobre o Pré Sal, que Lula tanto protegeu, entre outros. E atacar, principalmente, o BRICS, que contraria até as tripas, os interesses americanos, como a OTAN.

Opor-se ao Golpe ao Estado de Exceção interessa a todos, progressistas, humanistas, democratas, socialistas. Em perigo nossa soberania e elementares direitos. As grandes mobilizações pelo país, inclusive na abertura das Olimpíadas do RJ e nela, a vaia de 165 decibéis contra Temer e a sequência de manifestações nos estádios tem levado a denúncia do Golpe ao mundo, via mídia internacional livre e tudo isso nos dá ânimo e também aliados.

Isso nos sinaliza que a história de luta e resistência de décadas dos trabalhadores e sociedade civil organizada ainda está viva e pulsa.  E a bandeira urgente, passada a tormenta, deverá ser por uma constituinte exclusiva para se efetuar a Reforma do Sistema Político. E, isso, sabemos, só será viável com volta de Dilma, sem impeachment.

E Pedro Stédile já se antecipou: "Prendam Lula que ocuparemos as portas dos tribunais e símbolos do judiciário nesse país todo." Não dar arrego é a nossa sina!

 

  Sérgio Arruda

Mais recente:COMO ESTAMOS MAL PROTEGIDOS COM NOSSAS ESCOLHAS HUMANAS

    

Ana Paula Romão      

Mais recente:MORO, ONDE NÃO MORA A JUSTIÇA

 

 Renato Uchôa 

Mais recente: MORO, ONDE NÃO MORA A JUSTIÇA 

 

Ana Liési Thurler
 Mais recente:   Percalços inescapáveis do capitalismo

 

Luiz Francisco Guil

Mais recente: ENTRE PERDIDOS E ACHADOS                       

                
 

Artigos

links

Esta seção está em branco.

OPINIÃO

UMA QUESTÃO DE SENSIBILIDADE

  Por Ana Lúcia Alves          Dizem que sou sensível...pois vou contar onde aprendi a ser assim. Convivo a pelo menos 20 anos em hospitais cumprindo meu oficio de cuidar...e lá aprendi...Que paredes de hospitais, já ouviram preces mais sinceras e honestas do que em...

SOLIDARIEDADE NÃO SE PEDE

   Por Claudete Galli                Quero relatar um fato que ocorreu ontem quando eu estava na Vigília Lula Livre. Eu cheguei bem no momento em que o Stédile estava falando, como havia sido a visita ao Lula. Uma observação, então cada vez que o...

EM DIA DE JOGO DA COPA

  Por Igor Grabois            O Brasil é grande nos mais diversos sentidos do termo. Existem cinco países que estão, simultaneamente, entre os dez maiores PIB’s, territórios e populações. O Brasil é um deles. O maior país africano fora da África, só a Nigéria é...

ESTÃO NOS FAZENDO DE BOBOS, BRINCANDO DE DEMOCRACIA.

 Por Inês Duarte                   Não pode haver perdão ao ministro Edson Fachin. Ele traiu o povo brasileiro, traiu a democracia, a Constituição Federal e traiu principalmente ele próprio, quando deixou de cumprir a missão que se comprometeu...

AO SOM DA FOME

 Por Lúcia Costa                Eu tenho 49 anos. Desde criança via comícios, não perdia um, até onde dava. Aos 13 anos comecei a sentir vontade de entrar para a política ao ouvir aqueles homens. Eram só homens, falando bonito. Nos seus discursos...

O RECADO

Por Cleusa Slaviero        Para me apoiar  por causa do desânimo (preocupação), que me acometeu hoje, o George Mello disse: "menos expertise e mais luta, mais determinação." Ele quis dizer que as ações que realizamos na resistência, nesse momento, são mais importantes...

SOBRE A TENDÊNCIA HISTÓRICA E O FUTURO DO BRASIL

   Por Cristiano Camargo                    Toda Revolução Histórica tem um ponto de ruptura, da conjuntura anterior para a nova que surgiu pós- revolução, e que serviu de estopim para incendiar estas revoluções. Pois bem, estamos...

MARIELLE: BRASIL CHORA POR SUA MAIS NOVA MÁRTIR

Por Sérgio Botêlho           Há um mau cheiro no ar. E esse mau cheiro não vem do corpo inerte de Marielle. Esse mau cheiro vem dos seus assassinos. Esse mau cheiro vem de uma sociedade historicamente baseada em podres poderes. Negra, mulher, feminista, pobre...

TÁ FALADO

 Por Rosangela Lima              Madrugada alta e eu aqui, escrevendo textão. Pouca gente vai ler, mas é bom desabafar, então... Percebo nos olhares, nas críticas e alguns ataques, a incompreensão de muita gente do meu convívio com o fato de continuar na...

A MULHER E O VOTO

Por Inês Duarte          Não é de hoje que as mulheres possuem a disposição de lutar por respeito, igualdade de direitos, reconhecimento de seu papel, não apenas na sociedade, mas também, junto ao parceiro, como geradora de filhos, de gerações e que traz consigo o...

Esta seção está em branco.

Artigos

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!