MORO, ONDE NÃO MORA A JUSTIÇA

   Por Renato Uchôa (Educador)     

 

 

 

   Ana Paula Romão( Educadora)

 

 

 

É razoável afirmar que o juiz Moro, com o comportamento atípico, no caso Lava Jato, ainda sem jogar água e sabão nos amigos do PSDB. Limpeza genérica, pirata como afirmam alguns juristas. Causa arrepio, da própria Lei, a Equipe da Investigação escute um delator afirmando, implorando mais de 50 vezes o nome de um deles (de vários) do PSDB, do Temeroso... Agraciados com suculentas propinas.  Dona Rosangela mora com Ele, e deve como diz o ditado carne e unha, saber tudo, inclusive o escândalo do Banestado.

Partido dos vários delegados da PF que conduzem a investigação. Conduzem mesmo, pra onde querem. Os delegados não fizeram cerimônia na época da campanha no apoio a Aécio Neves. Amigo dos Perrelas, dono do helicóptero abarrotado de cocaína. Isenção sob suspeita. Estarrecedor a surdez da justiça. Uma afronta que a gestão petista não aprendeu. O Republicanismo ajudou no golpe, facilitou a propagação do ódio, e deu no que deu.

É bom lembrar os mais de quatro mil processos engavetado pelo procurador, digo marceneiro especialista em gaveta, na época de FHC. O leiloeiro das empresas brasileiras. Moro avança, limpa o caminho pra quebra total da legalidade. Muito mais além, do próprio País. Iniciada pela milícia de Joaquim Barbosa no Julgamento do Mensalão, quando as garantias constitucionais foram escondidas, por detrás das moitas de espinhos. Cercadas e protegidas por vários cachorros ferozes com os dentes de fora.

As defesas dos acusados, e condenados sem provas, não tiveram acesso aos Laudos, Auditorias... Que provariam o complô contra o PT. O cofre de Joaquim vai ser aberto no Supremo, em alguns anos, ou décadas. Andam dizendo por aí que ele não vai gostar. Só dos EUA, onde repousa e escuta Blues, e já espera o juiz Moro de mala e cuia.

Atípico em face do regime democrático não permitir as excrescências jurídicas praticadas, que no Paraná reinam em pleno Estado de Terror. Por enquanto, o estado pegando fogo contra um dos amigos do peito do juiz, o governador Beto Richa. Passou um trator quebrando um dos estados mais próspero do país. O juiz não sabe o festival de bandalheira do amigo. Desconhece. É tenebroso, o que a justiça legitima por lá. Uma escola de samba de autoritarismo. De prisões ilegais, constrangimentos, tortura psicológica, repudiadas até por advogados de porta de cadeias.

 O juiz é fogoso, tem a mídia venal, a Rede Globo na retaguarda, o MP, o Supremo dormindo de fraudas, o STJ inerte, a OAB preocupada em arrecadar as taxas para o Exame da Ordem, o Ministro da Justiça golpista envolvido com a Carne Fraca, atordoado sem entender as atribuições do cargo. Tem os EUA também para capar o gato quando o Morro Descer levando tudo pela frente.

A Direção do PT em retiro espiritual e voto de silêncio faz década. Pode ter acordado com o grito de guerra de quase 50 mil paraibanos, pernambucanos, cearenses na cidade de Monteiro-PB no beiço das águas do Rio São Francisco, domingo passado. Que se tornou o presente, o caminho da luta para derrotarmos o golpe, ao invés de nos  gabinetes assépticos e refrigerados, as ruas e avenidas do Brasil.

 Enfim, o Aparelho Coercitivo do Estado em festa de aniversário. Comemorando o que agora é regra: prende e deixa rolar, o cara um dia canta a música que nos queremos. As notas tem que ser contra o PT. Comendo salgadinhos. Pode inclusive, e não acontecer nada contra ele, o juiz americanizado, da época do Velho Oeste, usar para obter as confissões contra o PT: a Cadeira Inquisitória, Esmaga Polegar, a Roda Alta, Viola das Comadres, Açoite, Cavalete, Berlinda, Balcão de Estiramento, alguns instrumentos de tortura da Idade Média. Os delatores só apontam os dedos para os golpistas, inclusive o Usurpador Temer. As toneladas de propinas para o PSDB, PMDB, DEM...dizem, a reação do juiz é tapar o nariz e dizer : não vem ao caso.

Não foi pra isso que milhões de brasileiros lutaram, deram a vida contra o Regime Autoritário implantado em 1964, e construímos a duras penas o Estado Democrático, substituído pelo Estado de Terror.  A Lei deve ser respeitada, o processo legal tem que ser a regra para todos os que cometem crimes. E olha que pagamos salários astronômicos (comparados com o grosso da população trabalhadora) à parte (casta) do aparelho Repressivo do Estado. Normalmente contrário aos interesses da população, com raríssimas exceções.

Embora eles nos façam parecer que descendem dos anjos de bem. E aparentam e fazem muito bem esse papel: não usam cabelos compridos (raramente), barbeados, ternos e sapatos impecáveis, carros de luxo, casas boas e arejadas, o mundo pra eles é do tamanho de uma laranja. Você, nós, apenas o bagaço. Historicamente eles acham que somos. Manés. Resistir é preciso.