DESCULPA

 Teta Barbosa (Jornalista)   

 

 

Pai e mãe, venho hoje pedir desculpas. Não pela minha adolescência pseudo-rebelde, nem por ter sido mãe solteira. Não peço perdão pelas tatuagens nem pelos palavrões, tão próprios da minha geração e da minha personalidade. Nem venho, arrependida, falar sobre maconha nem me justificar quanto a faculdade particular.

Venho hoje, não pelas minhas falhas pessoais de filha mais velha e primeira neta mimada, muito pelo contrário, venho em nome de uma geração inteira pedir perdão. Nos anos 1980 estávamos tão ocupados com shows do Menudo e com o cubo mágico e não vimos quando vocês choraram a morte de Tancredo Neves. Talvez eles gostem muito do cara, devo ter pensado entre um diplick e uma fita cassete do Pink Floyd.

Não tive tempo de perguntar o que significavam aquelas lágrimas. Entretidos com River Raid no Atari, não paramos para entender, como deveríamos, o “Diretas Já” nem porque estavam todos de verde e amarelo se nem era Copa do Mundo. Não prestamos a devida atenção quando vocês contaram as histórias de amigos desaparecidos durante a ditadura, estávamos ocupados demais usufruindo da nossa liberdade.

Portanto, pai e mãe, a Democracia nos foi entregue de bandeja, como uma fatia suculenta de bolo de rolo. A gente sabia que era bom para o país, mas não tinha ideia, entretidos com nossa infância, de como ela tinha sido feita. Ninguém parou de bater papo no Mirc para se perguntar como aquelas fatias de doce de goiaba haviam sido colocadas tão delicadamente entre as finas camadas de pão de ló. Se tivéssemos dado uma pausa no vídeo cassete, perceberíamos, entre as cenas de ação de De Volta para o Futuro, que permeando o pedaço daquele bolo haviam camadas e mais camadas de luta e sangue do povo brasileiro.

E assim, seguimos por 1990 e 2000 como se a liberdade fosse um presente que a gente ganha quando não é natal nem aniversário. Como se o respeito ao voto fosse parte da evolução da espécie de que Darwin tanto falou. Parecia tão fácil que a gente não aprendeu a cuidar da Democracia, pai. A deixamos largada, ignoramos sua importância, superestimamos sua força. Deixamos ela vagar, solitária, por becos escuros e úmidos.

Não sabíamos, mãe, como ela era frágil e delicada. Achávamos que, assim como nós, a Democracia iria durar para sempre. Que, assim como as aventuras da Sessão da Tarde, ela teria um final feliz. Agora, entalados, não pela bala soft da nossa infância, mas pelo assombroso fim anunciado de todos os direitos pelos quais vocês lutaram, nós pedimos perdão.

Não soubemos cuidar da nossa herança. Não tínhamos como saber. Perdão se o voto de vocês, expressão máxima deste regime político onde o povo exerce a soberania, vai perder a validade sem nenhum motivo plausível ou justo. Sei que foram votar carregando a bandeira de uma ideologia de igualdade entre as classes, mas, pai e mãe, aprendi hoje o que vocês já sabiam desde os tempos do Golpe de 64: o poder engole a liberdade, a ganância engole o respeito, a mentira engole a imprensa e, o pior de tudo, o dinheiro engole o amor.

Pai, você aos 73 anos de idade, me disse hoje: “sou pessimista, está tudo perdido. Perdemos tudo pelo que lutamos uma vida inteira. ” Te respondo com as palavras de José Saramago: “não somos pessimistas, o mundo é que está péssimo”. Obrigado por nos ensinar de que lado ficar nesta luta desigual entre formigas e lobos. Mas sabe de uma coisa? Ouvi dizer que quando as formigas se juntam, formam um exército capaz de derrubar uma alcateia inteira.

 

  Sérgio Arruda

Mais recente:COMO ESTAMOS MAL PROTEGIDOS COM NOSSAS ESCOLHAS HUMANAS

    

Ana Paula Romão      

Mais recente:MORO, ONDE NÃO MORA A JUSTIÇA

 

 Renato Uchôa 

Mais recente: MORO, ONDE NÃO MORA A JUSTIÇA 

 

Ana Liési Thurler
 Mais recente:   Percalços inescapáveis do capitalismo

 

Luiz Francisco Guil

Mais recente: ENTRE PERDIDOS E ACHADOS                       

                
 

Artigos

links

Esta seção está em branco.

OPINIÃO

GRAÇAS A LA VIDA

    Por Lúcia Helena Issa     Amigos lindos, muitos de vocês sabem que morei em CUBA durante alguns meses, quando estava terminando a Faculdade de Jornalismo, para descobrir o que sentiam, com o que sonhavam e como viviam os cubanos e para escrever a minha dissertação, que...

O BRASIL DA CARA SUJA

 Por Márcia Tigani      O Brasil de 2016 é a própria tragédia. O acidente matando quase o time todo do chapecoense vem para " acabar de acabar" com este nefasto ano. Um país onde o fascismo cresce, a intolerância racial, religiosa e homofóbica são imensas, um país DESgovernado...

UMA ESMOLA AÍ

 Irnac Valadares                                        Então o Moro investiga há mais de 3 anos o sumiço de 40 bilhões da Petrobras, abre uma caçada ao Lula. Conforme as grandes mídias era...

Um vento frio assustador

Por Katia Fadel Barioni          Moro num sobrado há 20 anos, e nos últimos dez nunca mais ninguém tocou a campainha para pedir comida. Há dois meses, pelo menos três pessoas têm pedido comida todos os dias, pessoas diferentes.  Estou assustada e muito...

Lula é meu herói

  Por Marinês Lazzaron            Lulinha, meu amor. Ao se falar sobre o Lula, não tem como deixar de falar da gente, porque ele tem se esse dom de ser do povo, da vida e do sonho de todo mundo que trabalha e vive sob essa base cruel da pirâmide capitalista....

Cidadania urgente: Basta de autoritarismo jurídico

    Manifesto dos intelectuais contra o Estado de Terror Basta de autoritarismo no uso seletivo e partidarizado praticado por setores do Judiciário, do Ministério Público, da Polícia Federal, estimulados pela grande mídia oligopolizada. É com indignação que nos manifestamos contra o...

Um olhar expressivo

    Por Sarita Coêlho     Ao ver mais uma vez tantas acusações contra Lula baseadas em SUPOSIÇÕES PRESUNÇOSAS pode-se deduzir que vão tentar de tudo para impedir a recuperação do PT e a possível candidatura de Lula 2018. Mas vamos aos fatos: Perante as leis em princípio todos...

Dilma, mulher forte, sim senhor!

   Por Luiz Alberto Silva          Que você não goste da Dilma, não discuto. Você tem todo o direito. Você é livre (ou era?). Ademais, há muito tempo reparo que o povo, de um modo geral, apoia os bandidos. Adoram grandes traficantes, adoram homens que xingam...

es-Notícias

O Golpista

                                                                                    ...

Eu acredito é na luta

                                                                                   ...

O recado

                                                                                   ...

AO PREFEITO ARTUR NETO

                                                                                    ...

Olá amigos/as

                                                                                   ...

RESPOSTA À DIREITA E AO PIG

                                                                                   ...

ACREDITAMOS NO BRASIL!

                                                                                   ...

Artigos