A perversidade da raça branca

 

                                                                                                              Por Zurene Manique 

A Raça Branca se originou na Europa, entre 6.000 e 12.000 anos atrás. Dentre os primeiros caucasianos se destacaram os romanos, germânicos e vikings. Nesse período ocorreu a Ascensão e Queda do Império Romano, sendo que durante doze séculos um dos principais objetivos dos governantes foi a conquista militar e gerir as riquezas das regiões que se apropriavam, tais como: Península Ibérica, Marrocos, Arábia, Inglaterra, Romênia, Palestina, dentre outros territórios.

O surgimento dos povos germânicos em seus domínios culminou com a invasão e o saque de Roma, destronando o último imperador romano. Consequentemente, domínio da terra. Já os vikings formavam pequenos grupos independentes e organizavam as pilhagens que começaram a atingir o mundo europeu a partir das Ilhas Britânicas.

O que havia em comum entre essas três civilizações? A POSSE DO SOLO, SER O DONO DA TERRA. Avança-se um pouco mais na História e vamos nos deparar com a primeira nação europeia a realizar uma expansão marítima: Portugal, com o poder centralizado nas mãos do rei Dom João I, começa a enviar os portugueses em primeiras embarcações, em busca de produtos nas Índias. Nessas empreitadas, acabou descobrindo outros territórios e novas possibilidades de atingir seus interesses. Em 1415 conquistaram Ceuta na África.

Sigamos no tempo e, antes de mencionarmos o "descobrimento" do Brasil, tratemos da acentuada importância da Expansão Marítima Espanhola, que investiu na colonização de novas terras exploradas. Os espanhóis foram responsáveis pela aniquilação dos Incas, um dos povos mais civilizados da América. Os astecas, povo indígena da América do Norte, teve um fim abrupto com a chegada dos espanhóis, no começo do século XVI. Tornaram-se aliados de Cortés em 1519, porque o governante asteca Moctezuma II considerou o conquistador espanhol a personificação do deus Quetzalcóatl, e não soube avaliar o perigo que seu reino corria. Velejemos além e aportemos em Pindorama, no Ano da Graça de 1500.

Historiadores afirmam que antes da chegada dos europeus à América do Sul havia aproximadamente 100 milhões de índios no continente. Só em território brasileiro, esse número chegava, aproximadamente, a 5 milhões de nativos. A colonização portuguesa teve como principais características a submissão ou o extermínio de milhões de indígenas. O massacre deu-se pela não aceitação da invasão de sua terra, privação de sua liberdade e imposição de um trabalho braçal para o qual o indígena não estava habituado a executar.

O que fez a RAÇA BRANCA, que traz em sua carga genética o mais alto grau de perversidade? O caucasiano preguiçoso começa a traficar escravos negros africanos para lidar com a terra. E tem início um circo de horrores com navios negreiros singrando mares e trazendo o "povo sem alma" para trabalhar sob açoite e viver feito animais presos em senzalas.

E do outro lado do mundo acontecia "O Holocausto mais longo na história da humanidade" - entre os séculos XV e XIX - quando os "conquistadores" da América do Norte assassinaram 95% dos 114 milhões de habitantes indígenas do atual território dos Estados Unidos e do Canadá. Nos dias atuais, que brancura tem essa Raça que traz em seu âmago tanta escuridão?

Maltrata seres indefesos, julga-se superior a qualquer um que ocupa um cargo abaixo do seu dentro de uma empresa, bate panela quando uma presidenta que não possui contra ela nenhuma acusação de corrupção fala na TV, aplaude políticos corruptos? Que Raça Branca é essa que despreza refugiado e covardemente os espanca? Que se julga acima do Nordestino? Quer saber? Tenho vergonha de pertencer a uma RAÇA TÃO VIL! 

Foto: verdadenegrakemet.blogspot.com

 

  Sérgio Arruda

Mais recente:COMO ESTAMOS MAL PROTEGIDOS COM NOSSAS ESCOLHAS HUMANAS

    

Ana Paula Romão      

Mais recente:MORO, ONDE NÃO MORA A JUSTIÇA

 

 Renato Uchôa 

Mais recente: MORO, ONDE NÃO MORA A JUSTIÇA 

 

Ana Liési Thurler
 Mais recente:   Percalços inescapáveis do capitalismo

 

Luiz Francisco Guil

Mais recente: ENTRE PERDIDOS E ACHADOS                       

                
 

Artigos

links

Esta seção está em branco.

OPINIÃO

UMA QUESTÃO DE SENSIBILIDADE

  Por Ana Lúcia Alves          Dizem que sou sensível...pois vou contar onde aprendi a ser assim. Convivo a pelo menos 20 anos em hospitais cumprindo meu oficio de cuidar...e lá aprendi...Que paredes de hospitais, já ouviram preces mais sinceras e honestas do que em...

SOLIDARIEDADE NÃO SE PEDE

   Por Claudete Galli                Quero relatar um fato que ocorreu ontem quando eu estava na Vigília Lula Livre. Eu cheguei bem no momento em que o Stédile estava falando, como havia sido a visita ao Lula. Uma observação, então cada vez que o...

EM DIA DE JOGO DA COPA

  Por Igor Grabois            O Brasil é grande nos mais diversos sentidos do termo. Existem cinco países que estão, simultaneamente, entre os dez maiores PIB’s, territórios e populações. O Brasil é um deles. O maior país africano fora da África, só a Nigéria é...

ESTÃO NOS FAZENDO DE BOBOS, BRINCANDO DE DEMOCRACIA.

 Por Inês Duarte                   Não pode haver perdão ao ministro Edson Fachin. Ele traiu o povo brasileiro, traiu a democracia, a Constituição Federal e traiu principalmente ele próprio, quando deixou de cumprir a missão que se comprometeu...

AO SOM DA FOME

 Por Lúcia Costa                Eu tenho 49 anos. Desde criança via comícios, não perdia um, até onde dava. Aos 13 anos comecei a sentir vontade de entrar para a política ao ouvir aqueles homens. Eram só homens, falando bonito. Nos seus discursos...

O RECADO

Por Cleusa Slaviero        Para me apoiar  por causa do desânimo (preocupação), que me acometeu hoje, o George Mello disse: "menos expertise e mais luta, mais determinação." Ele quis dizer que as ações que realizamos na resistência, nesse momento, são mais importantes...

SOBRE A TENDÊNCIA HISTÓRICA E O FUTURO DO BRASIL

   Por Cristiano Camargo                    Toda Revolução Histórica tem um ponto de ruptura, da conjuntura anterior para a nova que surgiu pós- revolução, e que serviu de estopim para incendiar estas revoluções. Pois bem, estamos...

MARIELLE: BRASIL CHORA POR SUA MAIS NOVA MÁRTIR

Por Sérgio Botêlho           Há um mau cheiro no ar. E esse mau cheiro não vem do corpo inerte de Marielle. Esse mau cheiro vem dos seus assassinos. Esse mau cheiro vem de uma sociedade historicamente baseada em podres poderes. Negra, mulher, feminista, pobre...

TÁ FALADO

 Por Rosangela Lima              Madrugada alta e eu aqui, escrevendo textão. Pouca gente vai ler, mas é bom desabafar, então... Percebo nos olhares, nas críticas e alguns ataques, a incompreensão de muita gente do meu convívio com o fato de continuar na...

A MULHER E O VOTO

Por Inês Duarte          Não é de hoje que as mulheres possuem a disposição de lutar por respeito, igualdade de direitos, reconhecimento de seu papel, não apenas na sociedade, mas também, junto ao parceiro, como geradora de filhos, de gerações e que traz consigo o...

Esta seção está em branco.

Artigos

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!