O CAPUZ DO TERRORISTA E A MÍDIA

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                   

                                         diariodigital.sapo.pt

Por Renato Uchôa( Educador)

Impressiona o traço característico de violência dos norte-americanos ao longo de sua história. O genocídio praticado contra as populações indígenas nos Estados Unidos, guardando proporções, se compara com o extermínio das nações indígenas da América Latina. Aqui, quanto lá, o massacre se revestiu de intensa brutalidade.  A Guerra da Secessão americana, entre eles (norte x sul), consolidação da truculência que seria estendida aos povos de várias nações por séculos. A supremacia da barbárie americana escolhe os alvos em 1945, no final da 2ª Guerra Mundial: Hiroshima, em seguida Nagasaki, cidades do Japão. Constituíram o palco para o lançamento criminoso das bombas atômicas que mataram e marcaram com feridas profundas mais de 500 mil pessoas, em grande parte, velhos e crianças. A potência da bomba liberou uma onda de calor de 5,5 milhões graus Celsius. Acrescentem-se ventos de 385 km/h, arrastando tudo e a todos. Estima-se que no momento da explosão (Hiroshima) morreram 90 mil pessoas.  Ato desumano, desnecessário, a guerra já estava definida em favor dos aliados. No Vietnã, francês e americano, outros povos invasores, não levaram em consideração as lições da história. Os franceses antes, na batalha de Dien Bien Phu, cidade que deu nome a batalha, em 1954, foram banidos. Região rica na produção de arroz, vital na alimentação dos que participaram da luta contra o colonialismo francês. Depois os americanos, após anos de dominação, foram derrotados por um professor: Vo Nguyen Giap, conhecedor profundo das guerras, o grande estrategista da vitória. Escolhido por Ho Chi Minh organizou um exército de camponeses, plantadores de arroz que derrotou o maior poderio bélico do mundo. Importante registrar que o governo americano, em tonelagem, jogou uma quantidade de bombas maior que todas as da 2ª Guerra Mundial. Destroçaram o país com armas químicas, biológicas, praticamente todos os povoados do norte, mudaram cursos de rios, queimaram as aldeias e florestas com napalm (com mais de um milhão de mortos).  No Afeganistão, ontem os ingleses. No futuro, mais uma vez serão expulsos, juntamente com os americanos. Por mais criminosos e aterrorizantes sejam os bombardeios que massacram civis adultos e crianças. Urgente se faz uma reflexão do que efetivamente acontece nesses países, principalmente a partir de 2003 com a invasão do Iraque, envolvendo sistematicamente o assassinato de grande parte dos intelectuais, cientistas, pesquisadores, professores, jornalistas, entre outros. O saque é profundo com a destruição do patrimônio histórico e cultural, séculos de história, acervos bibliográficos incalculáveis. Horripilante. Um dos maiores crimes contra a humanidade. É crime de guerra. Praticado a luz de todos os dias. Nas ruas, vilas, cidades, nas prisões Guantánamo (Cuba) Abu Ghraib Iraque, fechada em 2006, a tortura se alastrou como método de interrogatório. Barak Obama, novo presidente americano, ao contrário do que parecia, mantém a mesma estrutura de terror da era Bush.  Difere no aumento das tropas no Afeganistão para completar o extermínio. A festa para as empresas controladoras das jazidas de petróleo continua. As exaustivas inspeções técnicas comprovaram: o Iraque não possuía as armas de destruição em massa, pretexto para invasão. Os terroristas, para inúmeras pessoas do mundo inteiro, estão sem o capuz: Obama, George W. Bush, Donald Rumsfeld e tantos outros, são responsáveis pelo estado de terror implantado no Afeganistão, Iraque, Líbia, Arábia Saudita, Ucrânia, Palestina. A mídia se mantém calada, assistem passivamente, vestida de cor marrom, os crimes mais hediondos contra a humanidade. 

 

  Sérgio Arruda

Mais recente:COMO ESTAMOS MAL PROTEGIDOS COM NOSSAS ESCOLHAS HUMANAS

    

Ana Paula Romão      

Mais recente:MORO, ONDE NÃO MORA A JUSTIÇA

 

 Renato Uchôa 

Mais recente: MORO, ONDE NÃO MORA A JUSTIÇA 

 

Ana Liési Thurler
 Mais recente:   Percalços inescapáveis do capitalismo

 

Luiz Francisco Guil

Mais recente: ENTRE PERDIDOS E ACHADOS                       

                
 

Artigos

links

Esta seção está em branco.

OPINIÃO

UMA QUESTÃO DE SENSIBILIDADE

  Por Ana Lúcia Alves          Dizem que sou sensível...pois vou contar onde aprendi a ser assim. Convivo a pelo menos 20 anos em hospitais cumprindo meu oficio de cuidar...e lá aprendi...Que paredes de hospitais, já ouviram preces mais sinceras e honestas do que em...

SOLIDARIEDADE NÃO SE PEDE

   Por Claudete Galli                Quero relatar um fato que ocorreu ontem quando eu estava na Vigília Lula Livre. Eu cheguei bem no momento em que o Stédile estava falando, como havia sido a visita ao Lula. Uma observação, então cada vez que o...

EM DIA DE JOGO DA COPA

  Por Igor Grabois            O Brasil é grande nos mais diversos sentidos do termo. Existem cinco países que estão, simultaneamente, entre os dez maiores PIB’s, territórios e populações. O Brasil é um deles. O maior país africano fora da África, só a Nigéria é...

ESTÃO NOS FAZENDO DE BOBOS, BRINCANDO DE DEMOCRACIA.

 Por Inês Duarte                   Não pode haver perdão ao ministro Edson Fachin. Ele traiu o povo brasileiro, traiu a democracia, a Constituição Federal e traiu principalmente ele próprio, quando deixou de cumprir a missão que se comprometeu...

AO SOM DA FOME

 Por Lúcia Costa                Eu tenho 49 anos. Desde criança via comícios, não perdia um, até onde dava. Aos 13 anos comecei a sentir vontade de entrar para a política ao ouvir aqueles homens. Eram só homens, falando bonito. Nos seus discursos...

O RECADO

Por Cleusa Slaviero        Para me apoiar  por causa do desânimo (preocupação), que me acometeu hoje, o George Mello disse: "menos expertise e mais luta, mais determinação." Ele quis dizer que as ações que realizamos na resistência, nesse momento, são mais importantes...

SOBRE A TENDÊNCIA HISTÓRICA E O FUTURO DO BRASIL

   Por Cristiano Camargo                    Toda Revolução Histórica tem um ponto de ruptura, da conjuntura anterior para a nova que surgiu pós- revolução, e que serviu de estopim para incendiar estas revoluções. Pois bem, estamos...

MARIELLE: BRASIL CHORA POR SUA MAIS NOVA MÁRTIR

Por Sérgio Botêlho           Há um mau cheiro no ar. E esse mau cheiro não vem do corpo inerte de Marielle. Esse mau cheiro vem dos seus assassinos. Esse mau cheiro vem de uma sociedade historicamente baseada em podres poderes. Negra, mulher, feminista, pobre...

TÁ FALADO

 Por Rosangela Lima              Madrugada alta e eu aqui, escrevendo textão. Pouca gente vai ler, mas é bom desabafar, então... Percebo nos olhares, nas críticas e alguns ataques, a incompreensão de muita gente do meu convívio com o fato de continuar na...

A MULHER E O VOTO

Por Inês Duarte          Não é de hoje que as mulheres possuem a disposição de lutar por respeito, igualdade de direitos, reconhecimento de seu papel, não apenas na sociedade, mas também, junto ao parceiro, como geradora de filhos, de gerações e que traz consigo o...

Esta seção está em branco.

Artigos

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!