A EDUCAÇÃO E O ESCURO ALÉM DA PORTA

                                                                                                    

                                                                                           selesnafes.com                                                                                                                                                                                                                                                                                               

Por Renato Uchôa (Educador)

A geração que lutou contra o regime autoritário, principalmente, nos anos 1960/70, início dos oitenta e sobreviveu, sabe da competência da Policia Federal. E dos demais órgãos de segurança que enviaram pra morte milhares de brasileiros. Tortura psicológica e física, dia e noite, que permeou o cotidiano das décadas de terror instaladas não só no Brasil. Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai, para citar alguns que não perdoaram os crimes hediondos praticados, quando a vida democrática se estabeleceu. O escuro além da porta nunca representou um obstáculo às ações ilegais realizadas que, na maioria das vezes, provocaram a morte de quem buscavam; quando vivos, se transformaram em mortos-vivos. A tortura generalizada como método nos interrogatório, obviamente, in totun, não teve o apoio do conjunto das Forças Armadas, da Polícia Federal. A conjuntura criou o Estado de Terror pronto para punir indistintamente qualquer cidadão, mesmo não professando “ideologias estrangeiras”, fossem civis ou militares. Bastava o direito inalienável de discordar. Aos escrúpulos, nas estrelas. Nenhum sentimento de humanidade caracterizou a ação dos aparelhos repressivos do Estado de Terror implantado em 1964. A revolução burguesa em curso no início da década, o fortalecimento dos movimentos sociais na luta pela reforma agrária, a questão da remessa de lucros, a perspectiva de alfabetização dos milhões de não letrados em função do desnudamento dos mecanismos de opressão, rumo a uma sociedade democrática que absorvesse as legiões de alijados do campo e da cidade. A classe dominante, em países subdesenvolvidos como o Brasil, valeu-se da subserviência histórica, umbilicalmente vinculada aos centros hegemônicos internacionais, nas diversas etapas da formação e constituição do Estado Brasileiro, para impedir as reformas essenciais para o desenvolvimento do capitalismo. Outro cenário, época diferente, diriam alguns, os mesmos grupos que dominaram e ainda são donos do Brasil. A Polícia Federal, pela visão embaçada, ao que parece, não consegue enxergar os passos da Jovem Fernanda Lages, após a porta. Afirmação de um pai ao ouvir um dos delegados responsáveis pela investigação. O escuro que nos clareia cega os policiais responsáveis pela elucidação do crime. Um delegado que se afasta e entra a CICO. Crime hediondo, requinte de perversidade, na principal Avenida de Teresina, no solo sagrado da justiça. A culpabilização da Polícia Civil (CICO), em parte, fato comprovado pela contaminação da cena do crime, uma vez que um coronel preservou a área, com competência. Cuidadoso, indicou as pegadas do possível assassino que conduziu Fernanda para a morte. Falha grave no isolamento, inclusive das escadas, topo do prédio que passou a interessar à vertente de suicídio. Por (in) competência, não pôde se constituir na desculpa da Polícia Federal para não encontrar os criminosos. A não colocação dos executores no local do crime nos leva a acreditar que foi na lua. É fato: o crime aconteceu no raiar do dia, com trabalhadores na obra que não escutaram o “barulho da queda”.  Remete-nos a questão de que não houve, pode ter sido morta em outro local, ou onde se encontrava. O poder público tem a obrigação moral de informar a população das ações empreendidas para punir os mandantes e executores. A angustiante demora da Policia Federal varre a cidade, o ar contaminado pelas dúvidas, em se confirmando a desastrosa tese de suicídio ou assassinato sem executores ou mandantes, suicida as nossas esperanças creditadas a ela. Fernanda Lages é filha de todos nós.

Publicado no Jornal Diário do Povo em 29/05/2012.  

 

  Sérgio Arruda

Mais recente:COMO ESTAMOS MAL PROTEGIDOS COM NOSSAS ESCOLHAS HUMANAS

    

Ana Paula Romão      

Mais recente:MORO, ONDE NÃO MORA A JUSTIÇA

 

 Renato Uchôa 

Mais recente: MORO, ONDE NÃO MORA A JUSTIÇA 

 

Ana Liési Thurler
 Mais recente:   Percalços inescapáveis do capitalismo

 

Luiz Francisco Guil

Mais recente: ENTRE PERDIDOS E ACHADOS                       

                
 

Artigos

links

Esta sección está vacía.

OPINIÃO

UMA QUESTÃO DE SENSIBILIDADE

  Por Ana Lúcia Alves          Dizem que sou sensível...pois vou contar onde aprendi a ser assim. Convivo a pelo menos 20 anos em hospitais cumprindo meu oficio de cuidar...e lá aprendi...Que paredes de hospitais, já ouviram preces mais sinceras e honestas do que em...

SOLIDARIEDADE NÃO SE PEDE

   Por Claudete Galli                Quero relatar um fato que ocorreu ontem quando eu estava na Vigília Lula Livre. Eu cheguei bem no momento em que o Stédile estava falando, como havia sido a visita ao Lula. Uma observação, então cada vez que o...

EM DIA DE JOGO DA COPA

  Por Igor Grabois            O Brasil é grande nos mais diversos sentidos do termo. Existem cinco países que estão, simultaneamente, entre os dez maiores PIB’s, territórios e populações. O Brasil é um deles. O maior país africano fora da África, só a Nigéria é...

ESTÃO NOS FAZENDO DE BOBOS, BRINCANDO DE DEMOCRACIA.

 Por Inês Duarte                   Não pode haver perdão ao ministro Edson Fachin. Ele traiu o povo brasileiro, traiu a democracia, a Constituição Federal e traiu principalmente ele próprio, quando deixou de cumprir a missão que se comprometeu...

AO SOM DA FOME

 Por Lúcia Costa                Eu tenho 49 anos. Desde criança via comícios, não perdia um, até onde dava. Aos 13 anos comecei a sentir vontade de entrar para a política ao ouvir aqueles homens. Eram só homens, falando bonito. Nos seus discursos...

O RECADO

Por Cleusa Slaviero        Para me apoiar  por causa do desânimo (preocupação), que me acometeu hoje, o George Mello disse: "menos expertise e mais luta, mais determinação." Ele quis dizer que as ações que realizamos na resistência, nesse momento, são mais importantes...

SOBRE A TENDÊNCIA HISTÓRICA E O FUTURO DO BRASIL

   Por Cristiano Camargo                    Toda Revolução Histórica tem um ponto de ruptura, da conjuntura anterior para a nova que surgiu pós- revolução, e que serviu de estopim para incendiar estas revoluções. Pois bem, estamos...

MARIELLE: BRASIL CHORA POR SUA MAIS NOVA MÁRTIR

Por Sérgio Botêlho           Há um mau cheiro no ar. E esse mau cheiro não vem do corpo inerte de Marielle. Esse mau cheiro vem dos seus assassinos. Esse mau cheiro vem de uma sociedade historicamente baseada em podres poderes. Negra, mulher, feminista, pobre...

TÁ FALADO

 Por Rosangela Lima              Madrugada alta e eu aqui, escrevendo textão. Pouca gente vai ler, mas é bom desabafar, então... Percebo nos olhares, nas críticas e alguns ataques, a incompreensão de muita gente do meu convívio com o fato de continuar na...

A MULHER E O VOTO

Por Inês Duarte          Não é de hoje que as mulheres possuem a disposição de lutar por respeito, igualdade de direitos, reconhecimento de seu papel, não apenas na sociedade, mas também, junto ao parceiro, como geradora de filhos, de gerações e que traz consigo o...

es-Notícias

O Golpista

                                                                                    ...

Eu acredito é na luta

                                                                                   ...

O recado

                                                                                   ...

AO PREFEITO ARTUR NETO

                                                                                    ...

Olá amigos/as

                                                                                   ...

RESPOSTA À DIREITA E AO PIG

                                                                                   ...

ACREDITAMOS NO BRASIL!

                                                                                   ...

Artigos