O SISTEMA DE TODOS OS MALES

 Por Carlos D`Ianco   

 

 

Dentro da lógica do nosso sistema econômico, cada indivíduo representa uma determinada "força de trabalho". Essa força de trabalho deve atender às necessidades do mercado. Como esse mercado é heterogêneo, necessita de diferentes tipos de forças de trabalho.

Essa pluralidade, no fim, acaba desaguando em uma singularidade: a troca de qualquer força de trabalho por dinheiro. Dessa forma, toda e qualquer força de trabalho, dentro desse sistema econômico é, a rigor, uma mercadoria.

Assim, a princípio, esse sistema não vê qualquer diferença sobre quem são os indivíduos concretos (reais) que detém as diversas forças de trabalho. Se essa força de trabalho é de uma mulher, de um homem, de uma criança, de um holandês, de um cristão, de um islâmico, de um cidadão, de um imigrante... nada disso importa...

O que importa para o sistema produtor de mercadorias é que esse indivíduo seja capaz de entregar essa determinada força de trabalho para os produtores de mercadorias.

Mas.... Como acabou de ser colocado, apenas "a princípio" esse sistema não vê qualquer diferença. A realidade é que esse sistema não é cego e possui total interesse em desvalorizar a força de trabalho em geral.

Como a força de trabalho se comporta de forma análoga a uma mercadoria, a ideia é sempre tê-la em abundância, de modo que o seu preço caia pela clássica "lei da oferta e procura". Assim, enquanto esse sistema econômico existir, é importante que haja força de trabalho ociosa, o que chamamos comumente de desemprego.

Além disso, o sistema está atento às chamadas "depreciações históricas" da força de trabalho. Uma mulher pode produzir tanto quanto um homem, mas ainda assim sua força de trabalho é, em geral, mais barata devido aos preconceitos historicamente determinados.

O mesmo ocorre com os negros, os imigrantes, as minorias, etc. Assim, a esse sistema econômico, a continuidade do machismo e dos preconceitos em geral (antigos e novos) são de seu absoluto interesse, pois atendem ao processo geral de depreciação do valor da força de trabalho.

Chegamos aqui a dois fenômenos que sempre existirão enquanto existir esse sistema econômico produtor de mercadorias: desemprego e preconceito.

Parte dos indivíduos acreditam que ambos os fenômenos são "naturais" e "insuperáveis". São os indivíduos "sistematizados". Entretanto, há indivíduos que discordam e lutam para que esses dois fenômenos sejam superados em nossa sociedade. Essas lutas são "autorizadas" pelo sistema, desde que se travem dentro da lógica do próprio sistema. Vejamos.

Se em um determinado país os salários dos homens são superiores ao das mulheres (por um mesmo trabalho) é absolutamente interessante ao sistema uma luta pela igualdade salarial, desde que essa luta resulte em salários menores aos homens, isto é, uma igualdade nivelada por baixo.

Ao longo dessa luta também interessa ao sistema o foco exclusivo na desigualdade entre homens e mulheres (isto é, na desigualdade de gênero) ignorando-se completamente a igualdade de ambos como explorados (ainda que em níveis diferentes).

A luta pela igualdade de direitos civis também é permitida, desde que não atinja as bases da lógica de depreciação da força de trabalho. Nos países onde a igualdade social transcendeu os interesses do sistema, é importante se criar uma política militante e universal para destruir essa igualdade, ressuscitando antigas divisões e criando novos sentimentos de ódio e repugnância ao outro.

Não por acaso, todos os países onde a igualdade e os direitos civis são mais avançados, se encontram hoje sob a ameaça de ataques terroristas que possuem como efeito a desagregação do tecido social que antes beneficiava a todos.

Dessa forma, podemos observar que divisões culturalistas, divisões de gênero e a produção de uma sociedade aterrorizada pelo medo daqueles que são "diferentes", em especial os imigrantes, atende aos interesses do sistema produtor de mercadorias.

Um sistema que produz desemprego, preconceitos, divisões, medo e ódio entre todos os que vivem dentro dele poderia ter vários nomes: "sistema desumanizador", "sistema do ódio", "sistema da destruição"... enfim... fica a cargo de quem quiser, nomear esse sistema da maneira que lhe convir...

Seu nome de batismo é, entretanto, "sistema capitalista de produção". Não é possível afirmar que a luta contra esse sistema ocorrerá de forma efetiva e assertiva. A única coisa possível de se afirmar é que o seu combate e superação é uma necessidade histórica.

 

 

  Sérgio Arruda

Mais recente: MISSA NEGRA

    

Ana Paula Romão      

Mais recente: RESUMO DA SEMANA

 

 Renato Uchôa 

Mais recente: A FACE OCULTA DO GOLPE 

 

Ana Liési Thurler
 Mais recente:   Percalços inescapáveis do capitalismo

 

Luiz Francisco Guil

Mais recente: ENTRE PERDIDOS E ACHADOS                       

                
 

links

Esta seção está em branco.

OPINIÃO

NOTA DE REPÚDIO DA UFPB

  A Reitoria da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) vem reiterar sua indignação e manifestar repúdio à ação de condução coercitiva de dirigentes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em operação que apura supostos desvios na construção do Memorial da Anistia. Em 6 de dezembro, o...
+

A FACE EXPLÍCITA DO TERROR

     Por  Vânia de Farias                     O que poderia levar dois jovens aparentemente bem sucedidos a cometer um ato monstruoso desses? Já nasceram psicopatas ou foram perdendo a...
+

ANOTA AÍ COMPANHEIRO/A

 Por Cleusa Slaviero          Ontem o Zeca me enviou o texto que Aldo Fornazieri publicou sobre a Nota do PT, só tive tempo de ler de madrugada, quando li tudo o que recebi ontem e me inteirei das notícias do Brasil e do mundo. Que decepção tão grande a opinião de...
+

SEM PERDÃO

 Por Inês Duarte        Mais uma vez encontro-me aterrorizada, indignada e quase em pânico diante da possibilidade da prisão de Lula. Não posso admitir em hipótese alguma, a prisão de um homem que conquistou os brasileiros e o mundo, com a política mais humanizada que já...
+

O GOLPE DESDE O PRINCÍPIO TEM SIDO BEM DOLOROSO.

 Por Cristiane Barreto        Num certo período da minha vida eu chorei uns dias seguidos, por um problema aparentemente sem solução. E que atingia direto no peito e eu ia para a cama e chorava, nada de reagir. Não conseguia, doía muito. O tempo passou, andava que nem zumbi...
+

O AMIGO DE SÉRGIO MORO

                                   Por Moisés Mendes                                           ...
+

O PAPEL DOS COVARDES

 Por Cleusa Slaviero            A presunção dos que atacaram Dilma até derrubá-la deu lugar a um silêncio culpado e envergonhado. É muita covardia. Reclamavam dia e noite do governo Dilma e do PT, imputando a eles todos os males do país....
+

NOTA PÚBLICA

  Gabinete da Reitoria                                            Entrega de Título de Doutor Honoris Causa ao ex-presidente Lula quarta feira, 16/08/2017. O Gabinete da Reitoria da...
+

NO CAMINHO DAS TREVAS

  Por Silvana Ferrari                Quer saber, eu cansei de ver fotos-montagens com a presidenta Dilma em cima de um caminhão de mudança cheio de tralhas e até um cachorro, com a legenda "Fora Dilma, Leve o PT Junto" Foram tantas as ofensas e...
+

es-Notícias

O Golpista

                                                                                    ...
Leia mais

Eu acredito é na luta

                                                                                   ...
Leia mais

O recado

                                                                                   ...
Leia mais

AO PREFEITO ARTUR NETO

                                                                                    ...
Leia mais

Olá amigos/as

                                                                                   ...
Leia mais

RESPOSTA À DIREITA E AO PIG

                                                                                   ...
Leia mais

ACREDITAMOS NO BRASIL!

                                                                                   ...
Leia mais

Artigos